Quais foram as maiores transformações do meio rural nos últimos anos?

O campo se modernizou e está cada vez mais próximo de ciência e tecnologia, mas o perfil do trabalhador também se modificou bastante

Quais foram as maiores transformações do meio rural nos últimos anos?
18/07/2019 • 3 min. de leitura

Todos os setores da indústria sofrem transformações ao longo dos anos, mas poucas áreas foram tão modificadas em pouco tempo e com tanta intensidade quanto o meio rural.

Novas técnicas, um novo perfil do trabalhador, alterações nas demandas e também desafios inéditos surgiram para quem está no campo. Essas mudanças exigem que se esteja constantemente atento e atualizado em relação às novidades. A seguir, conheça algumas dessas transformações mais evidentes — e comece desde já a lidar com elas.

Expansão e otimismo

Segundo dados da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em 2016 o agronegócio gerou 23% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil e foi responsável por 46% das exportações realizadas pelo país. O agronegócio é cada vez mais valorizado no país e deve essa reputação crescente a vários fatores, dentre eles atingir bons resultados na economia.

(​Fonte: Ministério da Agricultura/Reprodução)

E não são apenas as grandes empresas que contribuem para esse número: a agricultura familiar ganhou ao longo dos anos importância cada vez mais maior na produção nacional e, hoje, precisa ser valorizada. Realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Censo Agropecuário de 2017 mostra que essa produção é base da economia de 90% dos municípios brasileiros com até 20 mil habitantes, sendo a maior responsável por fornecer alimentos básicos consumidos pelos brasileiros, como feijão, arroz, milho, leite e trigo.

O poder da tecnologia

A maior responsável pelos números positivos do setor tem nome: tecnologia. A modernização do campo permitiu novas dinâmicas de trabalho, acelerou processos, multiplicou resultados e aprimorou até mesmo a qualidade do que é produzido. Ainda de acordo com o relatório da Embrapa, entre 1975 e 2015, avanços tecnológicos foram responsáveis por 59% do aumento do valor bruto da produção agrícola.

Em que locais isso é mais sentido? Os equipamentos foram modernizados em praticamente todas as etapas, otimizando desde o plantio até a colheita e o ensacamento de produtos agrícolas.

A mecanização de algumas etapas faz com que a produtividade cresça consideravelmente — e a necessidade de manutenção e operação das máquinas mantém a geração de empregos.

A ciência como aliada

Investimentos também foram feitos em pesquisa e desenvolvimento, com resultados bem evidentes. Novas composições de fertilizantes e técnicas de adubação do solo melhoram a colheita, que está cada vez mais protegida contra pragas.

Parcerias com universidades são hoje valiosas para aproximar as últimas descobertas do setor com o empresário e produtor rural, que pode aplicar as novidades o mais rápido possível.

Mudanças no perfil da população

Por fim, o perfil da população do campo se alterou bastante com o tempo. Houve um esvaziamento populacional do meio rural, com a população migrando para as cidades e diminuindo a ocupação das regiões hoje utilizadas para agropecuária.

Segundo o Censo Agropecuário de 2017, isso resulta também no aumento da média de idade da população rural. Pessoas com mais de 65 anos representam 21,4% dos moradores dessas regiões — porcentagem que era de 17,5% em 2006. Ao mesmo tempo, o percentual de jovens entre 25 e 45 anos apresentou queda, o que mostra que manter a população na região e interessada em trabalhar na área é um dos desafios de quem está atualmente no setor.

Curtiu o assunto? Reunimos especialistas e autoridades de diferentes áreas do setor de agronegócios. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Embrapa, IBGE.