Conheça o evento

Tecnologia de colheita de café em montanhas gera R$ 770 milhões em lucratividade e economia

Máquina brasileira desenvolvida para colheita de café em montanhas aumenta até 4 vezes a produtividade do trabalhador na lavoura

Tecnologia de colheita de café em montanhas gera R$ 770 milhões em lucratividade e economia
15/09/2020 • 2 min. de leitura

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

O Brasil deve colher 57 milhões de toneladas de café na safra atual, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A mão de obra representa a maior parte dos custos de produção do grão, podendo chegar a até 75% do total em regiões montanhosas, como mostra uma pesquisa da Universidade da Califórnia em Davis (EUA), que levou em consideração a produção colombiana de café em montanhas.

Uma tecnologia desenvolvida pela Cooperativa Regional de Cafeicultores de Guaxupé (Cooxupé) permite a utilização de uma derriçadeira costal para colheita que pode elevar a produtividade do trabalhador em até quatro vezes em lavouras de regiões montanhosas. Em 2019, o uso do equipamento gerou um impacto positivo estimado em R$ 770 milhões.

Parte das 300 mil propriedades brasileiras produtoras de café estão localizadas em regiões montanhosas, como o Estado de Minas Gerais e partes do Espírito Santo e da Bahia. A máquina reduz o custo de produção em relevos acidentados, melhorando a competitividade dessas lavouras com as plantações em áreas planas.

Como funciona a tecnologia de colheita em regiões montanhosas

Equipamento é ergonômico e de fácil manejo. (Fonte: Embrapa/Divulgação)
Equipamento é ergonômico e de fácil manejo. (Fonte: Embrapa/Reprodução)

O Brudden DSC-18 — Derriçadeira Seletiva de Café é composto por varetas localizadas na extremidade de uma haste que, ao vibrar, promove a queda (derriça) dos grãos em lonas colocadas no solo do cafezal. A vibração é acionada por um motor lateral ou costal. O manejo do aparelho mecânico é manual e deve ser realizado por pessoas treinadas.

O equipamento substituiu a colheita padrão, em que o trabalhador usa a mão para puxar o ramo e derrubar o grão. Além disso, dispensa o uso de escadas, pois a haste permite alcançar os ramos superiores. O aparelho pode colher até 28 quilos de café por hora, gerando maior produtividade na lavoura.

O peso total da derriçadeira é inferior a 6 quilos, concentrado em sua base, permitindo um uso ergonômico com a alça a tiracolo. A leveza e a praticidade da tecnologia permitem o trabalho em terrenos acidentados e culturas adensadas, inclusive em propriedades de pequeno porte. Além disso, causa menor dano à planta do que a colheita manual, possibilitando uma recuperação mais rápida.

Tecnologia inédita

Tecnologia brasileira foi adaptada para realidade colombiana (Fonte: Embrapa/Divulgação)
Tecnologia brasileira foi adaptada para realidade colombiana (Fonte: Embrapa/Reprodução)

Já havia máquinas de colher café em áreas planas no mundo, entretanto a tecnologia não estava disponível em terreno montanhoso. O equipamento desenvolvido no Brasil ajuda trabalhadores de outros países, como a Colômbia, o terceiro maior produtor de café do mundo, que tem o cultivo em áreas inclinadas.

Quer saber mais sobre tecnologias que facilitam o cultivo de café? Inscreva-se no Summit Agro, evento que reúne os maiores especialistas em agronegócio do País.

Fonte: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa).