Realidade aumentada e virtual: vantagens para o agronegócio

Com a chegada do agro 4.0, uma nova era tecnológica, produtiva, sustentável e rentável tem surgido no agronegócio

Realidade aumentada e virtual: vantagens para o agronegócio
20/05/2020 • 3 min. de leitura

A necessidade de novas soluções no setor do agronegócio tem estimulado o mercado da tecnologia a desenvolver ferramentas para otimizar manejos, reduzir perdas e elevar produções. Como resultado disso, uma das tecnologias que vêm sendo estudadas para melhorar os processos agrícolas é a realidade aumentada e virtual.

O avanço nas pesquisas e no desenvolvimento de equipamentos, dispositivos e softwares já tem causado um grande impacto nas lavouras do Brasil e do mundo. Na Rússia, por exemplo, uma fazenda de gado leiteiro testou o uso de óculos de realidade virtual para diminuir a ansiedade e o estresse das vacas, melhorando o bem-estar animal e a produção de leite.

(Fonte: Shutterstock)

Como a realidade aumentada e virtual impacta no agro

A realidade aumentada, em especial, ainda tem muito o que ser explorada dentro do agronegócio. A interação entre o virtual e o que realmente está se enxergando poderá revolucionar a forma com que o produtor lida com sua fazenda.

Por meio de um tablet ou smartphone e com o aplicativo certo, o produtor poderá, por exemplo, identificar pragas e doenças, inclusive conferir como está o balanço nutricional de suas plantas. Os sensores de presença de pragas já são usados atualmente acoplados em maquinários, o que se espera com o desenvolvimento maior dessa tecnologia é poder descobrir também qual é o melhor manejo a ser seguido para solucionar esse problema e preservar tanto o solo como o ambiente ao mesmo tempo.

Em estudos recentes, a Universidade de Wageningen, em Amsterdã, realizou testes de validação para um sistema pioneiro de realidade aumentada para plantas. A startup responsável pelo projeto, Plant Vision, desenvolveu um sistema no qual é possível usar um smartphone para ver o que se passa dentro de uma planta e avaliar as soluções mais adequadas.

Na prática, o sistema faz uso de sensores de infravermelho em câmeras de celulares para visão noturna e medição térmica, semelhante a dispositivos usados por policiais para detectar materiais em paredes, por exemplo. Com isso, é possível avaliar a saúde das plantas de forma prática e acessível para o produtor, usando apenas o celular.

De acordo com o desenvolvedor do projeto, Ryan Hooks, a realidade aumentada permitirá ao produtor enxergar o problema com três dias de antecedência, aumentando a eficiência dos tratamentos e a produtividade em geral.

Os desafios do futuro para o agronegócio

(Fonte: Shutterstock)

Com o crescimento constante da população mundial, os temas e as pautas sobre como alimentar o mundo de forma sustentável no futuro já são foco dos ministérios e das organizações do setor do agronegócio. Isso, porque, além de aumentar a produtividade, será extremamente importante preservar os recursos naturais e o solo, evitando que a degradação comprometa a capacidade de produção.

Além disso, outras soluções também precisarão ser alcançadas, como a redução das perdas e dos desperdícios, bem como a recuperação de áreas que já estão degradadas e improdutivas. Para isso, o investimento em pesquisa e tecnologia tendem a ser altos e constantes.

Nesse cenário, o uso da inteligência artificial e da realidade aumentada, por exemplo, se torna cada vez mais benéfico para as lavouras e produções agropecuárias. A utilização desses recursos otimiza os manejos e os recursos, assim como promove ações que ajudam os produtores a extrair o melhor de seus negócios de forma constante ao longo dos anos.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Vida Rural.