Pêssego: veja como o manejo correto pode aumentar a produtividade

25 de setembro de 2020 3 mins. de leitura
Com produção de pêssego concentrada no Sul e Sudeste do País, é preciso atentar-se para as condições climáticas ideais para o plantio

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

O Brasil é responsável por 0,8% da produção mundial de pêssego, segundo dados da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO). Para 2020, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou que as condições climáticas do País devem fazer com que as safras sejam menores do que as de 2019, quando a colheita foi de 104 mil toneladas.

Durante a frustração de safra causada pelo frio prolongado no Rio Grande do Sul, torna-se essencial realizar um manejo correto da fruta para garantir a maior produtividade possível nos pomares.

Atenção para os aspectos do pêssego

Com origem chinesa, o pêssego tem características do clima temperado e sobrevive melhor em temperaturas amenas. (Fonte: Shutterstock)

Segundo a FAO, a China produz 58% do volume mundial da fruta, que é majoritariamente revertido para o consumo interno. O pêssego tem origem asiática, portanto é considerado de clima típico temperado, rendendo mais em temperaturas amenas e ambientes com ótima irrigação.

As melhores épocas para o plantio dependem do método utilizado pelos produtores. Para as mudas de raízes nuas, julho e agosto oferecem as melhores condições climáticas e pluviais para o crescimento adequado. Já para a cultura em recipientes o período para plantação é menos restrito, mas deve-se buscar sempre as épocas do ano com maior índice de chuva.

Dependendo também da análise do solo, pode ser preciso realizar correções químicas com a utilização de calcário e adubos específicos.

Controle de pragas, podas e cultivo

Planejamento do produtor é essencial para determinar período exato da colheita. (Fonte: Shutterstock)

Um dos pontos importantes exigidos no mercado é o alto nível de qualidade da fruta. Para que isso seja atingido com sustentabilidade, que também é apreciada pelo mercado, é essencial que o produtor atente para o manejo integrado de pragas sem a utilização excessiva de agrotóxicos. Quanto mais natural for a produção, maior será o valor de mercado do pêssego.

Durante o cultivo, o agricultor também deve estar ciente das três etapas de poda de que os pomares necessitam: formação, produção e limpeza. Desde o primeiro dia de plantio, o produtor precisa se certificar de que os ramos crescerão conforme o planejado e sempre realizar o corte de ramos quebrados, secos ou doentes.

Por fim, o cultivo do fruto deve ser baseado nos objetivos buscados pelos agrônomos. Um pêssego colhido precocemente mantém a consistência da polpa e eleva o período de armazenamento, mas perde em sabor e aroma. Já uma colheita tardia garante a qualidade dos elementos sensoriais, mas faz com que o produto tenha menor validade.

Quer saber mais sobre o melhor manejo de frutas? Inscreva-se no Summit Agro, evento que reúne os maiores especialistas do agronegócio no País.

Fonte: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Epagri, UFRGS e Governo de São Paulo.

Gostou? Compartilhe!