Conheça as frutas e as verduras campeãs no uso de agrotóxicos

9 de dezembro de 2020 3 mins. de leitura
Agrotóxicos acima do limite permitido para a saúde humana são encontrados em pimentão, goiaba e cenoura

Notícias do campo

Um relatório divulgado recentemente pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mostra que 23% dos alimentos que foram testados entre 2017 e 2018 fizeram uso proibido ou indevido de defensivos agrícolas. O monitoramento colheu 4.616 amostras de 14 frutas e verduras representativas na dieta da população brasileira. Os dados foram fornecidos por órgãos estaduais e municipais de vigilância sanitária e laboratórios estaduais de saúde pública. Apenas o Estado do Paraná ficou fora das análises.

Entre os resultados que chamaram mais atenção está o do pimentão, que teve 82% das amostras identificadas com presença exagerada de agroquímicos ou uso de substâncias banidas. A goiaba vem em segundo lugar, com 42%, seguida da cenoura, com 40%.

Problemas de saúde

Laranja tinha agrotóxico suficiente para causar intoxicação química. (Fonte: Shutterstock)
Laranja tinha agrotóxico suficiente para causar intoxicação química. (Fonte: Shutterstock)

O abuso na utilização de defensores agrícolas pode prejudicar a saúde de quem trabalha com esses alimentos e de quem os consome. Para medir a quantidade de agrotóxico prejudicial à saúde pela ingestão, a Anvisa criou uma avaliação de risco agudo de curto prazo e crônico de longo prazo tendo como base o consumo médio dos brasileiros para cada alimento e o peso corpóreo dos consumidores a partir dos 10 anos de idade.

A análise apontou que nenhum dos alimentos analisados tem risco crônico, mas 41 frutas ou legumes tinham potencial de risco agudo — laranjas, na maior parte. O levantamento concluiu que de cada 14 laranjas vendidas no mercado 1 tem agroquímicos suficientes para causar intoxicação imediata em quem consumir. Especialistas alertam que a Anvisa levou em consideração apenas os químicos de forma isolada e que a combinação entre eles apresenta um potencial ainda maior de risco para a saúde.

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) realizou uma análise independente do mesmo relatório e identificou em 34% das amostras a presença de misturas de agrotóxicos. Os alimentos com maior combinação de substâncias químicas foram pimentão (95%), cenoura (73%) e tomate (68%).

Manejos sem químicos

Estratégias de produção, como a fazenda vertical, dispensam o uso de defensivos químicos. (Fonte: Shutterstock)
Estratégias de produção, como a fazenda vertical, dispensam o uso de defensivos químicos. (Fonte: Shutterstock)

Por causar risco à saúde humana, o uso de agrotóxicos pode fechar portas de mercados internacionais para o agronegócio brasileiro. A União Europeia anunciou uma meta de redução de 50% no uso de substâncias químicas e pretende destinar um quarto de suas terras agrícolas para a produção orgânica.

Uma lavoura sem químicos pode ser obtida por meio de diferentes técnicas, desde o uso de microrganismos para beneficiar o solo e as plantas, passando pelo Manejo Integrado de Pragas (MIP) até a utilização de fazendas verticais. Todas essas estratégias possibilitam aumentar a produtividade e fazer o controle de pestes na plantação sem a necessidade da adoção de defensivos agrícolas.

Conheça o maior e mais relevante evento de Agro do Brasil

Fonte: Agência Pública, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Canal Agro