Conheça o evento

Aquaponia: integrar peixes e hortaliças reduz 90% do gasto com água

Além de ser mais sustentável, sistema que integra peixes e hortaliças é de fácil implementação e simples manejo

Aquaponia: integrar peixes e hortaliças reduz 90% do gasto com água
03/06/2020 • 3 min. de leitura

A hidroponia e o cultivo orgânico de hortaliças estão se tornando opções cada vez mais populares entre os consumidores — e também entre os produtores — que buscam alimentos mais saudáveis e sustentáveis. Nos últimos anos, uma nova forma de cultivo foi adicionada a essas opções: a aquaponia. Trata-se da união entre aquicultura (criação de peixes e outros animais aquáticos) e hidroponia (criação de plantas sem solo, com raízes na água), em um mesmo sistema de cultivo. Além de ser mais natural, a aquaponia gera uma economia de água de até 90%.

As vantagens da união entre peixes e hortaliças já são conhecidas há algumas décadas e têm se popularizado no exterior. Aqui no Brasil, as experiências começaram a ser desenvolvidas pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), em Aracaju (SE), com ótimos resultados. "É uma qualidade ímpar. Faz diferença no sabor do alimento, nas folhas e textura", afirmou o produtor de hortaliças hidropônicas Luiz Fernando de Araújo ao portal da Embrapa.

Fonte da imagem: Embrapa
(Fonte: Embrapa)

Como funciona um sistema de aquaponia?

Embora a união entre peixes e hortaliças possa parecer inusitada à primeira vista, ela faz todo sentido. Os peixes são cultivados em tambores ou caixas-d'água e alimentados com ração. Parte da água dos peixes é bombeada para um filtro biológico (de argila expandida ou brita), onde os dejetos deles são filtrados e transformados em nutrientes para as plantas. Um cano leva a água filtrada, com os nutrientes fornecidos pelos peixes, para as outras caixas onde ficam as plantas. Por fim, as plantas retiram os nutrientes e filtram essa água, devolvendo-a para o tanque dos peixes. Isso significa que a mesma água dos peixes é utilizada para nutrir as plantas e depois volta para eles, retroalimentando o sistema.

É possível criar um sistema de aquaponia com qualquer planta que possa ser cultivada em hidroponia, como alfaces, rúcula ou agrião, temperos ou plantas medicinais. Quanto aos peixes, os especialistas recomendam aqueles que se adaptam melhor a ambientes de alta densidade, como a tilápia ou tambaqui. Quem não deseja consumir os peixes como alimento pode optar pela criação de peixes ornamentais no sistema, como a carpa colorida.

A aquaponia é bastante modular: pode ser feita com apenas um tambor na varanda de um apartamento, por exemplo, até uma aplicação comercial, com vários tanques de criação de peixes e múltiplas canaletas de hidroponia. Uma experiência da Embrapa, para agricultura familiar, utilizou um tanque com 600 litros de água para alimentar três pequenos ambientes de criação de alfaces e tomates, por exemplo.

Segundo os especialistas, talvez seja necessário suplementar as hortaliças com alguns nutrientes, como cálcio, fósforo, potássio e ferro, mas apenas em aplicações comerciais. Para cultivos residenciais ou agricultura familiar, os nutrientes dos peixes são suficientes para garantir uma boa produção de hortaliças. O cálculo para precisar quantos peixes e hortaliças cultivar em um mesmo sistema é feito pela quantidade de ração: cada 25 a 40 gramas de ração correspondem a um metro quadrado de hortaliças, considerando que os peixes comem 1,5% de seu peso por dia.

Fonte da imagem: Embrapa
(Fonte: Embrapa)

Aquaponia traz mais vantagens para os produtores

A principal vantagem da aquaponia está na economia de água — que pode chegar a até 90% em relação a outros sistemas de cultivo. Dessa maneira, a união entre peixes e hortaliças pode ser uma boa solução para locais onde a água não é tão abundante ou é um recurso caro, como no semiárido. Além disso, a aquaponia não libera qualquer poluente no meio ambiente, e as bombas de água geram um gasto reduzido de energia.

De acordo com Paulo Carneiro, pesquisador da Embrapa, outra grande vantagem da aquaponia para o agronegócio é a praticidade de manutenção do sistema. "O manejo é fácil, e o produtor tem pouca coisa para monitorar, tanto na produção vegetal quanto de peixes. Hortaliças de ciclo curto, como alface, podem ser colhidas após quatro a seis semanas", afirmou o especialista ao portal da instituição. Na verdade, a aquaponia pode ser até mais prática do que o cultivo hidropônico, uma vez que a qualidade da água filtrada dos peixes é mais estável.

Para aqueles que se interessarem pela aquaponia e desejarem criar seu próprio sistema de criação integrada com peixes e hortaliças, a Embrapa publicou um Manual de boas práticas de manejo. Ele está disponível gratuitamente para download no site da instituição.

Quer ficar por dentro das novidades do agro? O Summit Agronegócio reúne especialistas e autoridades para discutir os temas mais relevantes do setor, acompanhe. Para saber mais, é só clicar aqui!

Fonte: Embrapa.