Cuidados na criação de bezerros melhoram desempenho dos animais

Boas práticas na criação de gado de corte apresentam resultados positivos na saúde dos bichos

Cuidados na criação de bezerros melhoram desempenho dos animais
16/04/2020 • 2 min. de leitura

Atualmente, algumas fazendas adotam medidas mais cuidadosas com relação à criação de gado de corte, visando a uma melhoria no desempenho e na saúde dos bezerros. Essas boas práticas podem ser encontradas em um manual divulgado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Logo após o nascimento, os filhotes são identificados e passam pelos primeiros procedimentos sanitários, como assepsia do umbigo e aplicação de vermífugo. Isso deve ocorrer principalmente no segundo dia de vida, sobretudo para evitar bicheiras.

Nesse processo, ao se separarem da mãe para os procedimentos, os bezerros são submetidos até mesmo a massagens, para não terem efeitos traumáticos grandiosos. Na contenção dos animais, os vaqueiros devem estar atentos para não os machucarem e oferecerem certo conforto.

(Fonte: Unsplash)
(Fonte: Unsplash)

Segundo a pecuarista Talita Costa Garcia, do criatório Bela Vista Senepol, em Paulo Faria (SP), a diferença no comportamento dos animais é bastante notável, já que é o primeiro ano em que as técnicas são aplicadas por lá. “A ideia é adotarmos as boas práticas de manejo tanto em bezerros Senepol PO como em meio-sangue Senepol X Nelore. E a experiência está sendo muito bem-sucedida”, relata.

Ainda sobre melhorias, é possível destacar o desenvolvimento cerebral dos filhotes, que pode ser melhorado por meio de estimulação tátil, resultando em maior ganho de peso e em maior eficiência na obediência dos animais, facilitando os próximos contatos com eles. “A partir desse primeiro manejo, todos os outros ficam mais fáceis. Os bezerros estão mais dóceis e tranquilos e conseguimos administrar com facilidade os medicamentos e os procedimentos de identificação”, afirma a especialista.

Mais saúde para os bezerros

(Fonte: Unsplash)
(Fonte: Pixabay)

Outra medida que está ajudando a melhoria da qualidade de vida dos animais é a utilização de colares de identificação por um período menor, até que os furos de identificação na orelha cicatrizem. É válido ressaltar que a marcação a fogo deixou de ser utilizada, o que evita estresse e aumenta a saúde e o desempenho.

Algumas das principais práticas de bom manejo vieram de uma pecuarista experiente. Segundo o portal da Senepol, Carmen Perez tem experiência de cerca de 12 anos na introdução de práticas de bem-estar animal na Agropecuária Orvalho das Flores, perto de Barra do Garças (MG). Por meio dessas boas práticas, a companhia diminuiu as taxas de mortalidade dos animais, além de registrar melhorias nos índices de fertilidade das fêmeas e no ganho de peso dos bezerros.

Para Perez, as ações precisam de constância para atingirem bons resultados na pesagem, na aplicação de medicamentos e nas visitas ao curral. “É um desafio para toda a equipe, mas, quando os tratadores percebem que eles são também beneficiados, pois o manejo se torna muito mais fácil e os riscos de acidente diminuem, aceitam bem as técnicas”, explica a pecuarista.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: CNA, Senepol