Conheça o evento

Como o GPS pode melhorar a produtividade do agronegócio

O desenvolvimento e a implementação de agricultura de precisão só é possível graças à utilização do GPS

Como o GPS pode melhorar a produtividade do agronegócio
26/04/2020 • 3 min. de leitura

O Sistema de Posicionamento Global (GPS — Global Positioning System) está mudando a maneira como o agronegócio vê a terra da qual obtém seus lucros. Essa tecnologia permite ao produtor coletar informações geoespaciais precisas e em tempo real sobre o solo, as plantas, as pragas, os animais e equipamentos. Esses dados tornam o gerenciamento da produção agrícola mais eficiente.

Quando aplicado em associação com outras tecnologias no meio rural, o GPS propicia a utilização de técnicas de agricultura de precisão para obter dados relativos a irrigação, propriedades físicas do solo, necessidade de aplicação de defensivos e localização de insumos — com isso, diminuindo custos e aumentando a produtividade.

Benefícios do GPS no agronegócio

(Fonte: Shutterstock)

No passado, era difícil para os agricultores utilizarem técnicas de produção baseadas em dados diversos sobre a terra e a plantação. Isso limitou a capacidade de desenvolver estratégias mais eficazes de tratamento de solo e plantas, que poderiam melhorar a produção e diminuir desperdícios.

Hoje, é possível uma aplicação mais precisa de pesticidas, herbicidas e fertilizantes, além de um melhor controle na dispersão desses produtos químicos por meio da agricultura de precisão. Utilizando o GPS, é possível produzir com um rendimento maior e criar uma fazenda mais ecológica.

O uso desse sistema de posicionamento na agricultura possibilita a medição de áreas e o mapeamento completo da produção agrícola. A precisão do GPS facilita a navegação por locais específicos da propriedade, pois permite aos produtores que criem mapas do terreno de cultivo — com medidas de cada área, a localização das estradas e as distâncias entre locais de interesse.

As informações coletadas podem também ajudar no uso correto da água e da terra. Além disso, o GPS possibilita verificar amostragem do solo, planejar o plantio e inspecionar a colheita quando associado a outras ferramentas.

O sistema de localização pode direcionar equipamentos como o trator (inclusive de forma remota) e viabilizar operações em condições de baixa visibilidade, como chuva, poeira, neblina e escuridão.

Os aparelhos de GPS podem ajudar a identificar áreas problemáticas de pragas nas lavouras para futuras decisões de manejo e recomendações de insumos. As aeronaves de pulverização, por exemplo, podem usar esses dados para aplicar produtos químicos em faixas precisas, dispensando os “sinalizadores” humanos e minimizando a quantidade de produtos químicos necessários.

Tecnologia acessível

(Fonte: Shutterstock)

Apesar dos benefícios que o uso do GPS pode proporcionar, o agronegócio brasileiro ainda está em uma fase muito inicial em sua utilização. A ampliação da aplicação dessa ferramenta no campo vai otimizar os investimentos de recursos de produção e favorecer o agronegócio.

O mercado oferece soluções e métodos baratos, de fácil utilização e acessíveis para diferentes perfis de agricultores. Os aparelhos de GPS são portáveis, algumas vezes até menores do que telefones celulares, e não requerem enormes investimentos de capital nem muita experiência com tecnologias da informação.

Inclusive, algumas ferramentas estão disponíveis para serem baixadas e utilizadas por meio de celular de forma gratuita. No entanto, ainda que haja algum investimento financeiro por parte do produtor, a aquisição de um aparelho GPS pode trazer benefícios, e aumento de renda é um deles.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Governo dos EUA e Embrapa.