Conheça o evento

Como fazer o manejo prático da cana-de-açúcar

A cana-de-açúcar é matéria-prima para a produção de etanol e açúcar

Como fazer o manejo prático da cana-de-açúcar
09/09/2020 • 3 min. de leitura

Quer impulsionar seus negócios? Se inscreva no Summit Agronegócio, evento que reúne os maiores especialistas em agro do País.

***

A cana-de-açúcar é uma das matérias-primas mais importantes do Brasil, já que é a base para a produção de açúcar, bebidas alcoólicas e etanol, um combustível que contribui para o desenvolvimento sustentável. A cana também movimenta bilhões de reais todos os anos, gerando muito lucro para os produtores, portanto é essencial entender as melhores formas de manejar a espécie.

Características da cana-de-açúcar

A cana é uma planta fina e de formato cilíndrico que pode alcançar até 6 metros de altura, com folhas grandes; a principal fonte de matéria-prima é o caule. Como a planta precisa de solos férteis e bem estruturados para conseguir manter a produtividade, foram criadas algumas formas de manejo que podem ser práticas e auxiliar os produtores com ações que geram economia e ampliam a lucratividade do canavial.

O caule da cana-de-açúcar é a matéria-prima para álcool e açúcar. (Fonte: Shutterstock)

Na hora de plantar

É importante assegurar alguns pontos na hora de preparar a plantação de cana, entre os quais se destacam:

  • solo profundo e bem drenado, com lençol freático abaixo de 1,5 metro;
  • mudas originadas da cana-planta e que tenham entre 10 meses e 12 meses de idade;
  • espaçamento de 1 metro ou 1,5 metro entre as plantas;
  • mudas com colmos eretos e bem desenvolvidas.

O plantio de cana-de-açúcar ocorre, hoje, em três épocas, batizadas de cana de ano, cana de inverno e cana de ano e meio. Tais ciclos fazem referência, respectivamente, aos períodos de setembro a novembro, junho a agosto e janeiro a março.

Cuidados com o solo e com a cana-de-açúcar

Além da atenção para os detalhes da hora da plantação, algumas formas de manejo podem auxiliar a manter o solo em boas condições para a cultura da cana.

(Fonte: Shutterstock)

Calagem

Calagem é o ato de adubar o solo com calcário ou substâncias que tenham o cal misturado com o intuito de corrigir a acidez da terra. Essa atividade busca manter o pH do solo em equilíbrio e, assim, conservar a produtividade.

Essa ação é importante porque o pH interfere fortemente no nível de nutrientes e na condição da terra. Os produtores devem ficar atentos para manter o índice em torno de 6,5, que é perfeito para a cultura da cana. Quando o valor está abaixo de 5,5, apresenta deficiência de fósforo, magnésio, cálcio, potássio e molibdênio; já acima de 7,5 denuncia falta de zinco, manganês e ferro.

Irrigação

Quando se pensa em água, são utilizados cerca de 10 milímetros para cada tonelada de cana-de-açúcar produzida. A planta transpira entre 5 mm e 6 mm de água por dia; ainda assim, a quantidade aplicada na plantação deve ser coincidente com a etapa do ciclo do crescimento.

Irrigação é o ato de regar a plantação com água. (Fonte: Pexels)
Irrigação é o ato de molhar a plantação com água. (Fonte: Pexels)

Durante o estabelecimento e a maturação, é importante evitar o uso de muita água. Na primeira, a irrigação excessiva danifica a absorção de nutrientes; na segunda, reduz o teor de açúcar da cana. Na fase de máximo crescimento, a rega deve ser mais forte e presente, já que o baixo índice de umidade afeta a produtividade. Um exemplo é a forma negativa como interfere na produção e no acúmulo de açúcares, diminuindo a utilidade da cana.

Quer saber mais sobre manejos para a produção de cana-de-açúcar? Inscreva-se no Summit Agro, evento que reúne os maiores especialistas em agronegócio do País.

Fonte: Tese USP, Yara Brasil, Rehagro, Embrapa e Nova Cana.