Como o agronegócio contribui com a economia brasileira

Fortemente influenciada pelo agronegócio, a economia brasileira se beneficia dos grandes volumes de produção e exportação do setor

Como o agronegócio contribui com a economia brasileira
28/11/2019 • 2 min. de leitura

A agricultura compreende um dos pilares mais fortes da economia nacional, de forma que sua produção ultrapassou 20% do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil nos últimos anos. Em tempos de crise e instabilidade econômica, o agronegócio acaba sendo um porto seguro do País, gerando bilhões em receita e abrindo oportunidades de desenvolvimento e criação de empregos.

Peso e importância do agronegócio no Brasil

Considerado o setor mais competitivo da economia brasileira, o agronegócio é o principal responsável pelo saldo positivo da balança comercial — em 2017, o registro foi de R$ 96 bilhões.

Confira algumas estatísticas referentes ao agronegócio:

  • cerca de 37% dos empregos gerados no País têm relação direta ou indireta com o setor;
  • aproximadamente 40% das exportações são do segmento agro;
  • a faixa do PIB da agricultura é de R$ 1 trilhão, o que corresponde a cerca de 20% da economia nacional;
  • cerca de 40 milhões de hectares são direcionados aos produtos transgênicos, número que deixa o País atrás apenas dos EUA.

Propulsora da economia

No Brasil, a produção agroindustrial cresce exponencialmente, por isso atua como uma válvula de escape em casos de crises econômicas, fato que se tornou visível nos últimos anos.

(Fonte: Pexels)

Apesar dos problemas na economia, em 2015 o setor empregou 19 milhões de pessoas. Segundo informações da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), em 2016 foram gerados 75 mil novos empregos.

Também em 2016, a economia conseguiu registrar o seu primeiro resultado positivo — ainda no trimestre inicial — , depois de 2 anos negativos. O principal fator que culminou com o leve aumento do PIB foi o alto desempenho e a produtividade do setor.

Entre os produtos mais exportados estão farelo de soja, café, celulose, açúcar, carne bovina e de frango.

(Fonte: Pexels)

Leve queda em 2019

No início deste ano, o PIB do agronegócio indicou leve queda, na faixa de 0,15%. Segundo dados levantados pela CNA e pelo Cepea, o segmento pecuário também foi o responsável pela pequena retração, registrada em 0,6%.

Evidenciando a tendência que já havia sido observada em 2018, o setor agrícola registrou estabilidade no período, enquanto o de insumos seguiu em crescimento. Apesar das perspectivas otimistas, o agronegócio ainda sofre com os fantasmas das incertezas, por isso planejamento, estratégias e controle de custos são pontos que precisam ser reavaliados sempre.

Curtiu o assunto? Reunimos especialistas e autoridades de diferentes áreas do setor de agronegócios. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fontes: Upis, Aegro, Governo de Mato Grosso, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Defesa do Agro.