Conheça o evento

Brasil e Índia selam acordo por melhorias na agropecuária

Parceria prevê cooperação em produção animal nos setores de sanidade e pesquisa genômica em bovinos

Brasil e Índia selam acordo por melhorias na agropecuária
27/03/2020 • 3 min. de leitura

No fim de janeiro de 2020, o Primeiro-Ministro indiano, Narendra Modri, encontrou-se com o Presidente Jair Bolsonaro para firmar 15 acordos bilaterais entre Brasil e Índia. Quem também esteve presente no evento foi o Presidente da Índia, Ram Kovind, que compareceu à cerimônia da assinatura de documentos na Hyderabad House, um dos palácios do governo asiático.

Além de Bolsonaro, a Ministra Tereza Cristina e os secretários Jorge Seif Júnior (Aquicultura e Pesca) e Orlando Ribeiro (Comércio e Relações Internacionais) participaram da reunião, que se encerrou com a promessa de criação de um Centro de Excelência em Pecuária Leiteira em território indiano. As duas nações esperam atingir a meta de US$ 15 bilhões em comércio bilateral até 2022.

A abertura do mercado agropecuário foi um dos pontos mais retificados durante o encontro. Enquanto o governo brasileiro se mostrou disposto a negociar a exportação de grãos de gergelim para o país asiático, os indianos abriram as portas para a comercialização de sementes de milho. A exportação de gergelim brasileiro saltou de US$ 3,7 milhões em 2018 para US$ 25,4 milhões em 2019, o que representa aumento de 596% em um ano.

(Fonte: Pixabay)

O tratado entre Brasil e Índia prevê cooperação mútua nas seguintes áreas: sanidade animal, pecuária e pesca, capacitação técnica e pesquisa genômica bovina. O documento firmado entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Ministério da Pesca, Pecuária e dos Laticínios da Índia (DAHD) busca incentivar o comércio de animais e produtos derivados, além de realizar um intercâmbio científico para o desenvolvimento de tecnologias de reprodução animal.

Com a assinatura dos documentos, a expectativa é que Brasil e Índia desenvolvam programas de assistência técnica, cursos, estágios e transferência de tecnologia em reprodução animal. A capacitação de profissionais na área da agropecuária pode beneficiar ainda mais um setor que alcançou faturamento recorde de R$ 630,9 bilhões de Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) em 2019.

A união agropecuária entre os dois participantes do BRICS (grupo econômico do qual Brasil e Índia fazem parte) se fortalece ainda mais após os governantes endossarem o memorando de entendimento entre a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e o Departamento de Pecuária e Lácteos da Índia, firmado em 2016, no qual os países se comprometeram a desenvolver um programa de capacitação de técnicos indianos no setor de fertilização in vitro de animais.

Benefícios para o comércio

(Fonte: Pixabay)

Abacate, cítricos e madeira de ipê são alguns dos produtos brasileiros que despertam a atenção do governo indiano. Em contrapartida, os asiáticos aparecem como possíveis fornecedores de milheto, sorgo, canola e algodão para o Brasil.

Durante a visita política a Nova Delhi, a ministra Tereza Cristina fez questão de ressaltar a importância da parceria comercial para a economia nacional: "Destaco que o potencial de comércio e investimentos entre Brasil e Índia é enorme e precisa ser mais bem aproveitado. Tenho plena convicção de que a ampliação dessas trocas resultará, rapidamente, em crescimento socioeconômico para nossos países".

Atualmente, a Índia é o quarto maior parceiro comercial brasileiro. Em 2019, o fluxo bilateral entre os países atingiu a marca de US$ 7 bilhões. A tendência é que, com os novos acordos em ciência e tecnologia, energia, segurança e previdência social façam com que os números escalem em 2020.

Se interessou pelo assunto? Aprenda mais com especialistas da área no Summit Agro. Enquanto isso, acompanhe as notícias mais relevantes do setor pelo blog. Para saber mais, é só clicar aqui.

Fonte: Mapa, Governo, Agência Brasil