Tereza Cristina quer abrir mercados para produtos brasileiros na China

23 de outubro de 2019 3 mins. de leitura
Em sua segunda visita ao gigante asiático, a ministra tem encontros com importantes autoridades locais e diz que há oportunidades para exportar caroço de algodão, proteína concentrada de soja e material genético avícola

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, começou no início desta semana a agenda de compromissos na China, que tem por objetivo estreitar as relações comerciais. Em suas redes sociais, ela disse que a viagem tem a finalidade de “dar continuidade ao trabalho que iniciamos no primeiro semestre”. A equipe da ministra esteve no gigante asiático em maio deste ano.

Nos meses subsequentes à visita, os chineses anunciaram a habilitação de 25 plantas frigoríficas do Brasil, o que elevou para 89 o número de estabelecimentos autorizados a vender carnes para lá. Além disso, os chineses habilitaram 24 laticínios brasileiros a exportar produtos lácteos, como queijos e leite condensado.

Além de Tereza Cristina, integram a comitiva o secretário de Comércio e Relações Internacionais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Orlando Leite Ribeiro, o secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal, e diretores de questões sanitárias e inspeção animal do ministério, adidos agrícolas e representantes da Embaixada do Brasil na China.


Leia mais
> China abre as portas para lácteos brasileiros
> Demanda chinesa impulsiona o campo


No primeiro dia da visita em Pequim, Tereza Cristina se encontrou com o ministro da Administração Geral de Aduaneira (GACC), Ni Yuefeng, que é a autoridade chinesa responsável pelos temas sanitários. A pauta da conversa foi a diversificação e a ampliação das exportações de produtos agropecuários brasileiros.

No dia seguinte, a ministra da Agricultura se reuniu com Jun Lyu, presidente da Cofco, uma das principais empresas de alimentos do mundo, que tem uma subsidiária no Brasil. Ele falou que pretende ampliar o investimento em quatro plantas de açúcar da Cofco no Brasil.

Em suas redes sociais, a ministra afirmou que há “muitas oportunidades para ampliar a pauta de exportações dos produtos agropecuários brasileiros”. Disse ainda que “já há negociações em curso para exportar caroço de algodão, proteína concentrada de soja, material genético avícola, melão, uva e miúdos suínos”.

Outro assunto recorrente na agenda da comitiva brasileira foi a importância dos investimentos chineses em infraestrutura para melhorar o escoamento da produção agrícola brasileira.

Na sexta-feira (25), a ministra integra a comitiva do presidente Jair Bolsonaro, que estará no país. No momento, o presidente está no Japão. Avesso a peixe cru, no primeiro dia de viagem (21), ele disse, em tom de brincadeira, que não vai comer carne enquanto os japoneses não abrirem o mercado para suínos e bovinos do Brasil.

Por Redação 

Gostou? Compartilhe!