Minas Gerais é destaque no 28o Prêmio Ernesto Illy de Café

5 de abril de 2019 5 mins. de leitura
Dos 40 cafeicultores finalistas, 37 são provenientes do estado, mas vale ressaltar a presença pela primeira de um agricultor da região Centro-Oeste entre os três primeiros colocados
Na noite de ontem, 04 de abril, foram divulgados os vencedores nacionais do 28o Prêmio Ernesto Illy de Qualidade Sustentável do Café para “Espresso”. Os produtores que vão para Nova York representar o Brasil na categoria internacional são: Elmiro Alves do Nascimento (Cerrado Mineiro), José Pedro Marques de Araujo (Matas de Minas) e Carlos Alberto Leite Coutinho, de Brasília – DF. Mais uma vez o prêmio foi dominado pelos mineiros, dos 40 finalistas, 37 eram de Minas Gerais. Mas vale destacar a presença de Coutinho, o primeiro representante da região Centro-Oeste a ficar entre os três primeiros colocados. Eles irão disputar o prêmio com cafeicultores dos nove países (Brasil, Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Etiópia, Ruanda, Guatemala, Índia e Nicarágua) dos quais a torrefadora italiana compra o grão. No ano passado, a vencedor da etapa internacional foi um produtor de Ruanda. O Prêmio Internacional Ernesto Illy teve sua primeira edição em 2016. A partir de então, a Illy deixou de divulgar na cerimônia brasileira quem ficou em primeiro, segundo e terceiro lugar. A revelação acontece na celebração em Nova York, prevista para outubro deste ano. O café brasileiro representa 50% do blend da torrefadora e tem características de corpo e notas de chocolate essenciais para um bom “espresso”. A promoção de concursos foi a estratégia adotada desde que desembarcou no País em 1991. Antes, a Illy comprava café do Brasil via cooperativas, mas os grãos não chegavam com a qualidade necessária. A decisão da empresa foi checar o que estava acontecendo e começar a comprar diretamente dos produtores. Naquela época, não havia recompensas para quem produzisse um café de melhor qualidade. As cooperativas pagavam o preço da commodity. No entanto, com a chegada da Illy, os cafeicultores passaram a ter incentivo para buscar melhorias no plantio, manejo da lavoura, colheita e beneficiamento dos grãos. A torrefadora começou a pagar um ágio sobre o valor de mercado para estes grãos especiais. Hoje, este diferencial é cerca de 30% a mais do que o valor de mercado da saca de café e os fornecedores, cerca de 600, também participam dos concursos de qualidade promovidos pela empresa. “No início das compras diretas, aprovávamos 10% das amostras enviadas, hoje aprovamos 70%”, diz Andrea Illy, presidente da Illy. No Brasil, a atual edição do prêmio foi recordista em número de amostras de café recebidas: 1.174 no total. Na cerimônia de entrega da premiação, que ocorreu ontem em São Paulo, foram entregues mais de R$ 120 mil em prêmios. Cada um dos três finalistas recebeu um cheque de R$ 10 mil. A torrefadora também premiou os vencedores das categorias Regional, Fornecedor Sustentável do Ano e Classificador do Ano (veja lista completa abaixo). Posicionamento de mercado Mesmo com a crise econômica brasileira, nos últimos cinco anos a Illy dobrou o volume de vendas no País. Contribuiu para este crescimento o lançamento do e-commerce em 2017. “Do primeiro para o segundo ano, vendemos 131% a mais em quilos de café”, diz o presidente. Mas em termos de negócios, o segmento de hotéis, restaurantes e cafés é o mais expressivo com uma participação de 80%. No ano passado, as vendas da Illy ficaram estagnadas no Brasil. “Para 2019 prevemos uma transição, uma preparação para voltarmos a crescer em 2020”, acrescenta. Na cerimônia de premiação, Andrea Illy anunciou que lançará cápsulas de alumínio da marca Illy, compatível com outras máquinas de café. A novidade chegará primeiro na Europa e EUA e deve desembarcar no Brasil no próximo ano. Os resultados globais da Illy em 2018 não estão fechados, mas a receita consolidada de 2017 foi de 467 milhões de euros. VENCEDORES NAS DEMAIS CATEGORIAS DO PRÊMIO ERNESTO ILLY REGIONAL Centro-Oeste Campeão: Carlos Alberto Leite Coutinho (Brasília-DF) Vice-campeã:  Cristiane Zancanaro Simões (Cristalina-GO) Cerrado Mineiro Campeão: Elmiro Alves do Nascimento (Presidente Olegário-MG) Vice-campeão:  Nilton Toshio Yamaguchi (Rio Paranaíba-MG) Chapada de Minas Campeão: Luis Manuel Martins da Silva (Angelândia-MG) Vice-campeão:  Mansur e Pimenta Agronegócios (Água Boa-MG) Matas de Minas Campeão: José Pedro Marques de Araujo (Manhuaçu-MG) Vice-campeão:  Luiza Araujo Miranda (Araponga-MG) São Paulo Campeão: Maria Lucia Andrade Taramelli (São Sebastião da Grama-SP) Vice-campeão:  Daniella Romano Pelosini (Pardinho-SP) Sul de Minas Campeão: Rovilson dos Santos Andrade (Botelhos-MG) Vice-campeão:  Katia Cristina Melo Reis (Cabo Verde-MG) Sul Campeão: Orlando von der Osten (Cornélio Procópio-PR) FORNECEDOR DO ANO Gláucio de Castro (Patrocínio – Cerrado Mineiro)o CLASSIFICADOR DO ANO 1º lugar nacional – Hugo Passos Swerts Junior (Sul de Minas) 2º lugar nacional – Augusto Cesar Freitas de Souza (São Paulo) 3º lugar nacional – Ronaldo Cypreste (Cerrado Mineiro)  
Gostou? Compartilhe!