Eventual acordo entre Mercosul e Japão pode favorecer café solúvel

2 de agosto de 2019 2 mins. de leitura
A possibilidade de um tratado entre Mercosul e Japão seria benéfica à indústria de café solúvel brasileira, que hoje paga uma taxa de 8,5% para ingressar no país asiático
Hoje, o café solúvel brasileiro paga uma taxa de 8,8% para entrar no Japão

Um eventual acordo entre o Mercosul e o Japão pode elevar a participação do café solúvel brasileiro no mercado japonês. “Tivemos a grande notícia do acordo Mercosul-UE este mês, que ampliará nossa participação no bloco europeu assim que o pacto entrar em vigência. Vislumbrar a possibilidade de um tratado Mercosul-Japão gera muita expectativa, porque, certamente, temos potencial para responder por mais de 50% do market share naquele país”, diz em comunicado o diretor de Relações Institucionais da Associação Brasileira da Indústria de Café Solúvel (Abics), Aguinaldo Lima.


Leia mais: > Vendas de café solúvel à União Europeia podem subir 35% em cinco anos > Qualidade é o motor da alta de consumo de cafés no Brasil

O diretor salienta que “somos os principais provedores ao Japão há anos e mantemos esse desempenho mesmo com o produto brasileiro sendo taxado em 8,8% para ingressar no país asiático, ante a isenção de tarifas para os produtos dos principais concorrentes, como Malásia, Vietnã, México, Tailândia e países do Acordo Transpacífico de Cooperação Econômica (Trans-Pacific Partnership – TPP) e da Associação das Nações do Sudeste Asiático (Asean)”.

O Japão é o quarto maior comprador de café solúvel brasileiro, tendo importado o equivalente a 304.074 sacas de 60 kg em 2018, gerando receita de US$ 65,8 milhões ao País. Em 2015, o produto nacional respondia por 38,7% do mercado nipônico e veio registrando avanços até chegar a 44,5% no ano passado. Fonte: Broadcast | Agro
Gostou? Compartilhe!