Check-up de máquinas agrícolas

29 de setembro de 2017 4 mins. de leitura
Os tipos de manutenção disponíveis no mercado para o produtor alcançar melhor rendimento com seu maquinário Com os avanços da agricultura de precisão e a mecanização do manejo das lavouras, as máquinas assumem papel essencial no campo. Elas são utilizadas no preparo do solo, plantio e colheita e, ter o maquinário pronto para o uso […]

Os tipos de manutenção disponíveis no mercado para o produtor alcançar melhor rendimento com seu maquinário

Com os avanços da agricultura de precisão e a mecanização do manejo das lavouras, as máquinas assumem papel essencial no campo. Elas são utilizadas no preparo do solo, plantio e colheita e, ter o maquinário pronto para o uso pode ser o diferencial entre o lucro e o prejuízo. “Seguir corretamente as instruções de cuidados e manutenção presentes no manual do operador reduz significativamente o risco de uma parada não programada nos períodos de alta demanda”, diz Cleber Bandeira, gerente de serviços da Massey Ferguson. A manutenção nasce junto com o projeto da máquina. Segundo Maurício Menezes, supervisor de Marketing de pós-venda da John Deere, ela já é pensada desde a engenharia até os testes de campo. “Todo o processo pré-comercial leva em consideração toda a parte de manutenção e como vamos sustentar esta máquina para que no campo ela entregue 100% do que foi projetada para render”, completa o supervisor. Ele ressalta que não adianta apenas comprar a máquina. “Ela, sozinha, não é a solução, pode até ser o problema. O cliente tem a expectativa de que ela execute um trabalho que pode não realizar por falta de manutenção”, diz Menezes. Neste contexto, as montadoras desenvolveram programas de manutenção que se dividem em três tipos. A primeira é preventiva, aquela básica que segue o manual do proprietário. Ela abrange a troca de fluidos e peças após intervalos predefinidos pelo fabricante. Também engloba as lubrificações e verificações recomendadas para o bom uso do equipamento. A segunda é a manutenção corretiva. Quando algum componente quebra durante o uso e é feita a substituição imediata. O terceiro tipo de manutenção – e o que mais cresce – é a preditiva, uma espécie de “análise de sangue” do maquinário. Em determinados intervalos de tempo, são colhidas amostras dos diversos fluidos da máquina, como o da caixa de transmissão, do motor e dos eixos. Todo material é levado para laboratórios que analisam e detectam se há presença de agentes contaminantes e outras condições adversas que, se não forem solucionadas, podem ocasionar graves quebras no futuro. Outra tecnologia crescente é a telemetria. Por meio de sensores e análises eletrônicas, é possível acompanhar de forma remota todo o desempenho da máquina. A John Deere, por exemplo, disponibilizará o sistema JD link, que envia códigos de erros via internet, problemas detectados na máquina, além de fazer atualizações e reprogramações remotas. A Massey Ferguson, por sua vez, oferece plataformas como o Tech Connect, que – por meio de um aplicativo para smartphone, tablets e site – oferece ao produtor acesso aos profissionais da rede de concessionárias para esclarecer dúvidas de manuais do operador e de boletins técnicos. Nos serviços de pós-venda, as concessionárias são o elo vital entre o cliente e a montadora, dispondo de uma estrutura específica para a parte de manutenção. “É importante levar em consideração os benefícios que se têm ao contratar a rede de concessionárias autorizadas. Por exemplo, a garantia de que as peças são originais e que os técnicos são treinados e habilitados para correta manutenção da máquina”, diz Cleber Bandeira, gerente de serviços da Massey Ferguson. Para dar conta das demandas regionais, as revendas possuem estoques de peças que permitem agilidade no serviço de substituição. As montadoras, inclusive, instalam-se em regiões de fácil distribuição, como a região de Campinas, para reduzir o tempo de resposta. “Em mais de 90% dos casos, o cliente tem acesso às peças na hora. Como estamos ao lado do aeroporto de Viracopos, conseguimos despachar para o Brasil todo, permitindo que em 24h a peça esteja instalada na máquina”, finaliza o supervisor de Marketing de pós-venda da John Deere.
Gostou? Compartilhe!