O agro nas eleições

20 de agosto de 2018 2 mins. de leitura
Há uma inédita presença de candidatos fortemente vinculados ao ruralismo A menos de dois meses das próximas eleições, o agro brasileiro se prepara para dois grandes eventos que têm a ver com o seu futuro: o pleito de 7 de outubro e o plantio de mais uma safra de verão. No primeiro caso há um […]

Há uma inédita presença de candidatos fortemente vinculados ao ruralismo

A menos de dois meses das próximas eleições, o agro brasileiro se prepara para dois grandes eventos que têm a ver com o seu futuro: o pleito de 7 de outubro e o plantio de mais uma safra de verão. No primeiro caso há um interessante fenômeno em andamento que tem a ver com o reconhecimento da população quanto à importância do campo na economia. E nem poderia ser diferente: a mídia que cobre o setor rural, tanto a especializada quanto a geral, ficou muito mais esclarecida em agro e mostra diariamente sua influência na vida nacional, seja na composição do PIB (o agronegócio representa 23% do total), seja na geração de empregos (mais de 20%), seja na formação das exportações, cujo saldo só é positivo graças ao superávit do setor no comércio internacional. Esses números aliados ao reconhecimento da sustentabilidade da produção rural e da demanda global por alimentos aqui produzidos terminaram impactando a montagem e o registro das chapas que concorrerão à Presidência e vicepresidência da República. Clique aqui e confira na íntegra o artigo do ex-ministro Roberto Rodrigues, coordenador do Centro de Agronegócios da Fundação Getúlio Vargas.
Gostou? Compartilhe!