Análise das cinco pick-ups mais vendidas

18 de dezembro de 2017 6 mins. de leitura
O Caderno Agro avaliou as cinco pick-ups mais vendidas do ano e traz os diferenciais nas categorias compacta, intermediária e média Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), de janeiro a novembro o segmento de pick-ups representou 13% do mercado brasileiro. Na liderança está a Fiat, com a briga interna entre Strada […]

O Caderno Agro avaliou as cinco pick-ups mais vendidas do ano e traz os diferenciais nas categorias compacta, intermediária e média

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), de janeiro a novembro o segmento de pick-ups representou 13% do mercado brasileiro. Na liderança está a Fiat, com a briga interna entre Strada e Toro. No segmento acima, Hilux e S10, detendo 67% de market share. E a disputa deve ficar mais acirrada. A Mercedes-Benz anunciou que irá lançar a Classe X, sua versão de pick-up que deve chegar às fazendas brasileiras em meados de 2019. A seguir, detalhes de cada uma das categorias. FIAT STRADA HARD WORKING CABINE DUPLA X VW SAVEIRO  CROSS CABINE ESTENDIDA A Fiat Strada vem com o motor 1.4 EVO flex de 85/88 cv (gasolina/etanol), torque de 12,4 kgfm e 12,5 kgfm (G/E) a 3.500 rpm e câmbio de 5 marchas. Em termos de desempenho, falta um pouco de força. O câmbio tem engates longos e pouco precisos, e as retomadas são lentas. É um veículo robusto com eixo rígido na traseira e feixe de molas, que auxilia no transporte de cargas. A traseira tende a sair em curvasmais fechadas. Conta com dois airbags, freio a disco na dianteira e freio a tambor na traseira com ABS e EBD (controle de distribuição de frenagem). A versão testada estava equipada com direção hidráulica, vidros elétricos, sensor de estacionamento traseiro, chave com alarme e trava das portas. Falha ao não oferecer trava automática da caçamba. O consumo com gasolina ficou em 9,5 km/l na cidade e 12 km/l na rodovia. A Fiat oferece três versões: Working, Hard Working e Adventure, com preços que variam de 47.990 a 76.690 reais. Já a Saveiro vem equipada com sensores de estacionamento dianteiro e traseiro e gráfico de aproximação na tela do multimídia. Tem o diferencial de travar a caçamba ao trancar o carro e sistemas de auxílio aos motoristas. O ESC, controle de estabilidade, ajuda o carro a não derrapar em situações de terrenos escorregadios. O ABS off-road, por sua vez, permite ao carro escorregar um pouco, o que ajuda na frenagem em estradas de terra. Ela também vem com o auxiliar de descida e assistente de partida, que seguram o carro por três segundos em inclinação sem necessidade de puxar o freio. Além disso, tem dois airbags e freio a disco nas quatro rodas. Na versão Cross, vem com o novo motor 1.6 de 110 cv e torque de 15,8 kgfm/16,8 kgfm (G/E) a 4.000 rpm e câmbio de 5 marchas. O câmbio é preciso, tendo engates rápidos e elásticos. Tanto no asfalto como na terra, a suspensão lembra a de um automóvel em termos de conforto. A Saveiro é ofertada em três versões: Robust, Pepper e Cross. Os preços variam de 48.390 a 78.990 reais.
Saveiro e Strada: baseadas em carros compactos, as pick-ups ganham mercado pela versatilidade e pelos preços atraentes
FIAT TORO FREEDOM 2.0 4X4 AT 9 MARCHAS Na categoria intermediária, a Toro traz um conceito diferente de caminhonete, baseada em SUV (Sport Utility Vehicle), que a Fiat chama de SUP (Sport Utility Pick-Up). O resultado é uma pick-up comsuspensão que absorve as irregularidades do solo. Além disso, tem como diferencial a porta traseira bipartida, que facilita para carregar e descarregar a caçamba. A versão testada tinha sensor de chuva com acendimento automático dos faróis, sensor de pressão dos pneus, câmera de ré e banco com ajuste elétrico, como o da Hilux e da S10. Vem com motor 2.0 diesel de 170 cv e 35,7 kgfm e câmbio de 9 machas, mas o desempenho foi um pouco aquém. Em situações de ultrapassagem, o câmbio demora a responder. A lentidão se dá também em trechos de subida. A tração automática aciona o 4×4 ao menor sinal de dificuldade, prejudicando o consumo do carro. Em estrada de terra em região serrana, foi de 7,5 km/l. Já na rodovia, foi de 11,1 km/l. A Fiat tem 6 versões da Toro com preços que variam de 90.900 a 134.390 reais.
Na liderança: Com menos de dois anos de mercado, a Toro é a campeã de vendas em seu segmento
TOYOTA HILUX 4X4 SRX X CHEVROLET S10 DIESEL HIGH COUNTRY Hilux vem com 7 airbags, chave presencial, com partida com toque no botão, faróis de xênon, multimídia com GPS, TV, DVD, rádio, mp3 e câmera de ré. Mas faltam itens, como acionamento automático dos limpadores de para-brisas, sensor de estacionamento e trava automática da caçamba, já que se trata de um automóvel de 193.270 reais. É equipada com o motor 2.8 turbo diesel de 177 cv e torque de 45,9 kgfm – entregues entre 1.600 e 2.600 rpm – e câmbio de 6 marchas com opção de troca manual. Vem equipada com sistemas ECO e POWER, visando economia e desempenho, respectivamente. No modo ECO, o carro demora para efetuar as trocas. Em contrapartida, o consumo de combustível é baixo: a média na cidade foi de 10,2 km/l e de 12,2 km/l na estrada. Em estradas de terra é a pick-up que menos chacoalha. Já a estabilidade decepciona.
Hilux é líder na categoria de pick-ups médias
A S10 vem com direção elétrica, o quetorna a condução mais leve. Conta com sensores dianteiro e traseiro, câmera de ré com gráfico de auxílio de manobras, alerta de colisão e de mudança de faixa sem sinalização, aviso de velocidade e sistema My Link com concierge One Star, que localiza o carro em caso de roubos. Vem com capota marítima e peça Santo Antônio exclusiva para a versão High Country e custa 182.390 reais. O trem de força é um dos mais potentes do mercado com o motor 2.8 turbo diesel de 200 cv e 51 kgfm. O câmbio de 6 marchas automático trabalha em harmonia com o motor e entrega um bom desempenho já em baixas rotações, o que resulta num consumo de 10,6 km/l na cidade e de surpreendentes 13,2 km/l na rodovia.
Gostou? Compartilhe!