Essent Agro permite produtor acompanhar o IR mês a mês

3 de maio de 2019 4 mins. de leitura
Startup possibilita que o agricultor se planeje e mostra alternativas legais para o agricultor reduzir o percentual a ser pago ao Leão
Serviço da startup sistematiza as notas fiscais do produtor, tirando a dor de cabeça de organizar a papelada
Todo mês de abril é a mesma correria. O produtor rural vai atrás das notas fiscais para levar ao contador responsável por fazer seu Imposto de Renda (IR). O problema é que nem sempre ele encontra tudo que precisa, e é quando começa uma via sacra para achar os documentos fiscais desaparecidos. Outro caminho é recorrer à memória, lembrar onde fez a despesa e ir lá pedir a reimpressão da nota. Mas tudo isso leva tempo e afasta o agricultor daquilo que ele sabe fazer: cuidar do dia a dia da fazenda. Atento a essa lacuna, o grupo Essent, que tem 41 anos de trajetória e expertise na área de contabilidade, lançou no ano passado a Essent Agro. Trata-se de uma startup que auxilia o produtor com seu planejamento tributário e controle financeiro, evitando que ele pague mais imposto do que deveria. O funcionamento da empresa é todo automatizado.
“Quando um cliente com o CPF cadastrado emite uma nota, o robô pega a nota fiscal na Receita Federal e armazena na plataforma. Ele identifica se a compra foi de um fungicida ou inseticida e monta um gráfico mostrando o percentual gasto com cada produto”, diz Giandrei Basso, CEO da Essent Agro.
No modelo tradicional, a “administração” das notas fica a cargo do agricultor. “O produtor faz a compra de insumos na revenda, que emite a nota para ser levada. Muitas vezes, ele coloca na caminhonete, ou anota algo atrás e acaba perdendo o documento, que posteriormente teria que levar para o contador lançar no sistema e gerar o livro–caixa”, diz Basso. No cômputo final, o agricultor paga mais imposto por não localizar todas as notas. O fato de a Essent Agro organizar as notas foi o que chamou a atenção do agricultor Marcos Fachin, de Nova Ramada (RS). “Eu não preciso me envolver muito com a papelada e vou acompanhando mês a mês o imposto”, diz o produtor. Antes, ele levava os documentos para o contador, que emitia o boleto do imposto. “Eu nem sabia por que estava pagando aquela quantia”, diz. Cliente da startup desde setembro do ano passado, o produtor estava preocupado com o aumento do faturamento, que implicaria uma mordida maior do Leão. “Mas a Essent me propôs colocar CPFs de outros agricultores da família, o que reduziu 30% do IR”, diz. A economia, segundo Basso, pode chegar até a 70% do que a propriedade pagava. DICAS CONTÁBEIS No escritório da empresa, os analistas contábeis ficam gerenciando, mês a mês, a carteira de clientes. No momento em que um produtor começa a pagar imposto, aparece um aviso na tela para ele ficar mais atento. “Suponhamos que chegou novembro, e sr. João está pagando R$ 110 mil de IR. Para não pagar, ele precisaria gerar uma despesa de R$ 250 mil na propriedade. Nós perguntamos se ele já comprou insumo para a safra seguinte. Puxar uma compra para aquele ano fiscal pode ser uma estratégia para zerar o IR dele”, diz o CEO. Lançada no meio do ano passado, a Essent já conta com 400 clientes e foi apadrinhada pela Bayer. A multinacional a incluiu na rede AgroServices, um programa de relacionamento com produtores de todo o Brasil. Na compra de produtos da marca, o agricultor acumula pontos que podem ser trocados por serviços, tais como os oferecidos pela Essent. O apoio, segundo Fábio Prata, diretor de Marketing de Cliente Bayer, visa ajudar a profissionalização do produtor e a sustentabilidade de seu negócio. “Quando o agricultor consegue se planejar em quesitos como tributação e administração, suas finanças ficam mais organizadas e ele aumenta o potencial de investimento em tecnologia e inovação”, diz. O preço dos serviços prestados pela Essent Agro são, em média, 10% acima do que um escritório contábil cobra só para fazer o IR do produtor. “Mas nós entregamos planejamento, organização e assessoria contábil”, diz Basso. A precificação se baseia no faturamento da propriedade e no número de CPFs atrelados.
Gostou? Compartilhe!