BRF faz recall de frangos por suspeita de salmonela

14 de fevereiro de 2019 3 mins. de leitura
O problema foi detectado em lotes de produtos da marca Perdigão produzidos no final de 2018; ações da companhia recuaram 3% após o comunicado
BRF faz recall de 464 toneladas de frango por suspeita de salmonela
A companhia de alimentos BRF disse ontem ao Ministério da Agricultura e à Agência Nacional de Vigilância Agropecuária (Anvisa) que está recolhendo de forma voluntária (recall) 464 toneladas de carne de frango por suspeita contaminação da bactéria Salmonella enteritidis. Segundo comunicado do ministério, no mercado doméstico estão sendo recolhidas 164,7 toneladas da proteína in natura em 13 Estados. Outras 299,6 toneladas, destinadas ao exterior, também serão recolhidas como medida preventiva. Em nota, o Serviço de Inspeção Federal (SIF) do Ministério informou estar acompanhando o processo, assim como a destinação correta do produto em estoque e o que retornará à indústria. “Foi correto o procedimento adotado pela empresa na identificação do problema, no recolhimento voluntário do produto e na comunicação ao ministério e à Anvisa”, avalia o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, José Guilherme Leal, em nota.
“Caso esses alimentos não sejam completamente fritos, cozidos, assados ou manuseados conforme descrito nas embalagens, a Salmonella enteritidis representa risco à saúde”, alertou a BRF, segundo o comunicado do ministério.
A companhia disse, ainda, ter destacado um grupo de especialistas para investigar as origens deste único caso, com o objetivo de garantir a adoção das medidas apropriadas para evitar a recorrência do problema. Produzida nos dias 30 de outubro e 5, 6, 7, 9, 10 e 12 de novembro de 2018, na unidade de Dourados (MS), a carne foi vendida nos Estados do Amapá, Bahia, Ceará, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. No total, o recall nacional representa quantidade inferior a 0,1% de toda a produção mensal de frango da BRF no País, de acordo com o ministério. Efeito cascata – Após o comunicado feito na manhã de ontem, as ações da companhia desabaram e fecharam em queda de 3,2%, a R$ 22,55 – o pior desempenho do Ibovespa. Os papéis da gigante dos alimentos acumulam perdas de 25% em 12 meses.
O anúncio acentua ainda mais crise exposta na BRF. A empresa teve seu nome envolvido na operação Carne Fraca, deflagrada em março do ano passado, em que é acusada de omitir salmonela em seus produtos. Desde 2017, a empresa acumula resultados negativos e enfrenta uma crise de gestão. No comando desde o ano passado, o executivo Pedro Parente tem promovido uma reestruturação operacional e financeira na companhia. O episódio, contudo, só contribuiu para elevar ainda mais a cautela dos investidores, que preferem outros papéis no setor de alimentos, especialmente a rival JBS. Na semana passada, a BRF anunciou a conclusão de seu processo de vendas de ativos, que somou R$ 4,1 bilhões, abaixo das expectativas do mercado e da própria empresa, que esperava levantar R$ 5 bilhões.
Nayara Figueiredo – Broadcast Agro
Gostou? Compartilhe!