Safra de grãos deste ano deve superar recorde de 2017

11 de setembro de 2019 3 mins. de leitura
A previsão do IBGE é que o Brasil feche o ano com 239,8 milhões de toneladas de grãos, quantidade superior ao montante registrado há dois anos
Novo recorde de produção foi puxado pelo bom desempenho das lavouras de milho

A safra recorde de 239,8 milhões de toneladas de grãos esperada para este ano deve superar em 1,4 milhão de toneladas o montante obtido em 2017, o último recorde registrado até então. Os dados são do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de agosto, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O clima estava melhor no ano de 2017 do que em 2019, mas houve aumento na área plantada, explicou Carlos Alfredo Guedes, gerente da Coordenação de Agropecuária do IBGE. O resultado previsto em agosto deste ano é 108,1 mil toneladas maior que o estimado em julho, mas não deve mudar muito mais até o fim do ano, avaliou o pesquisador. “A gente acredita que não deve sair muito desse número que estamos divulgando”, estimou Guedes.O pesquisador projeta que falta colher cerca de 7,5 milhões de toneladas de grãos que ainda estão no campo, entre trigo, outras culturas de inverno, feijão de terceira safra e milho de segunda safra.


Leia também > Demanda chinesa impulsiona o campo > Descompasso entre produção e exportação de soja

Em 2019, o avanço na produção agrícola nacional foi puxado pelo milho, que tem rendimento maior que o da soja por hectare cultivado. “Por hectare, a gente produz bem mais milho do que soja. Como a gente aumentou o milho este ano, teve aumento na produção”, explicou Guedes. “Um hectare dá quase o dobro de milho do que dá de soja”, completou. A estimativa da produção de milho cresceu 0,1% na passagem de julho para agosto, totalizado 98,9 milhões de toneladas, novo recorde de produção, 88.060 toneladas a mais que o estimado no mês anterior. A produção de milho será 21,5% maior do que a de 2018. Na primeira safra de milho, a produção alcançou 25,7 milhões de toneladas, queda de 0,1% em relação ao ano anterior. Para a segunda safra, a estimativa da produção deve alcançar recorde de 73,1 milhões de toneladas, aumento de 0,4% em relação ao estimado no mês anterior.

O resultado é 5,5 milhões de toneladas maior que o da safra de 2017, até então a maior produção obtida no País, quando registrou 67,6 milhões de toneladas. Os aumentos mais expressivos na produção, em relação ao mês anterior, ocorreram no Piauí (9,6%), Ceará (35,1%) e Goiás (5,1%, mais 498,0 mil toneladas).

Daniela Amorim – Broadcast Agro

Gostou? Compartilhe!