Projeção é de superávit de oferta de açúcar

22 de agosto de 2018 2 mins. de leitura
A Organização Internacional do Açúcar (OIA) prevê um excedente de produção de 6 milhões de toneladas A Organização Internacional do Açúcar (OIA) apresentou há pouco sua primeira estimativa para o balanço da commodity na safra de 2018/19, que terá início em outubro e se encerrará em setembro do ano que vem. De acordo com a […]

A Organização Internacional do Açúcar (OIA) prevê um excedente de produção de 6 milhões de toneladas

A Organização Internacional do Açúcar (OIA) apresentou há pouco sua primeira estimativa para o balanço da commodity na safra de 2018/19, que terá início em outubro e se encerrará em setembro do ano que vem. De acordo com a entidade que tem sede em Londres, será mais um ciclo de superávit da produção em 6,747 milhões de toneladas. Números preliminares apontados pela instituição já sinalizavam uma oferta excedente para o período de cerca de 6 milhões de toneladas. O excesso de açúcar previsto para a próxima safra, porém, é um pouco menor do que o estimado para a temporada atual (2017/18), de 8,597 milhões de toneladas, conforme atualizou a instituição por meio de seu relatório trimestral Market Outlook. Em documento similar anterior a este, as previsões apontavam para uma produção acima de 5 milhões de toneladas, mas no último relatório mensal, a OIA já previa uma produção de 10,512 milhões de toneladas acima do consumo, o que seria o maior excedente da oferta mundial da commodity da história da comercialização internacional. A organização também já apontou, no passado, que previa um possível fim da fase de superávit no ciclo 2019/20, porém, no documento divulgado nesta quarta-feira, não houve uma nova menção sobre essa possibilidade. “Os fundamentos do mercado não devem apoiar os valores de mercado ao longo dos próximos 12 meses”, considerou a entidade no relatório. A OIA salientou que, atualmente, os preços mundiais do açúcar bruto (preço diário ISA) estão em torno de 11 centavos de dólar por libra-peso, um nível não visto há quase uma década. O Índice de Preços de Açúcar Refinado (ISO) caiu de US$ 390,00 por tonelada no início de 2018 para o nível atual abaixo de US$ 320,00 por tonelada. (Célia Froufe, correspondente – celia.froufe@estadao.com)
Gostou? Compartilhe!