Negócios com a China podem ser ampliados, diz Bolsonaro

6 de novembro de 2018 2 mins. de leitura
Em conversa com o embaixador chinês, o presidente eleito disse que o comércio entre os dois países pode até aumentar, mas fez ressalvas quanto à compra de terras agricultáveis por estrangeiros
O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), disse em entrevista à Band ontem, após receber o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, que tem interesse em aumentar negócios com os chineses, mas que “todos os países podem comprar no Brasil, mas não comprar o Brasil”. “A conversa foi muito boa, protocolar num primeiro momento e depois aprofundamos em algumas coisas. Está na cara que a China quer aumentar negócios com Brasil. Não teremos nenhum problema com a China, pelo contrário, (o negócio) pode ser até ampliado”, afirmou o presidente eleito. Após investimentos bilionários no Brasil nos últimos anos, empresários chineses estão aguardando sinalizações de Bolsonaro para definir movimentos de investimentos, disse à Reuters o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Brasil-China, Charles Tang. “Líderes de várias empresas chinesas estão preocupados. Não é que os negócios estão sendo afetados, eles simplesmente estão em compasso de espera.” Durante a campanha eleitoral, Bolsonaro demonstrou em vários momentos considerar que a China quer dominar importantes setores da economia brasileira. “Vejo com muita preocupação a possibilidade de o Brasil vender terras agricultáveis (para outros países) porque eles vão matar o nosso agronegócio, seja a China, seja o país que for”, disse Bolsonaro ontem.
Gostou? Compartilhe!