Ministro quer ‘harmonizar’ meio ambiente e agricultura

11 de dezembro de 2018 2 mins. de leitura
Bolsonaro confirma nome do advogado Ricardo Salles, filiado ao Novo, para comandar a pasta a partir de janeiro; anúncio fecha o primeiro escalão do futuro governo
Ricardo Salles será novo ministro do Meio Ambiente
O advogado Ricardo Salles, filiado ao Novo, será o ministro do Meio Ambiente no governo Bolsonaro. Salles foi secretário na administração de Geraldo Alckmin. Ele disse que o setor agrícola foi perseguido por órgãos ambientais no passado e agora deve-se buscar harmonia. “Essa perseguição ideológica não é saudável para ninguém: nem para a agricultura e tampouco para o ambiente.” O presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou ontem a escolha do advogado Ricardo Salles como futuro ministro do Meio Ambiente e fechou o desenho do seu Ministério, que terá ao todo 22 pastas. Filiado ao Novo, Salles lidera o movimento Endireita Brasil e foi secretário estadual do Meio Ambiente em São Paulo na gestão de Geraldo Alckmin (PSDB). Após ser confirmado no cargo, ele disse que seu papel no ministério será defender o meio ambiente e respeitar o setor produtivo. Bolsonaro cogitou extinguir a pasta depois de ser eleito. O primeiro escalão de Bolsonaro terminou maior do que o previsto – com sete pastas além do prometido durante a campanha eleitoral – e formado por militares, políticos e técnicos. Bolsonaro recuou da intenção de extinguir o Ministério do Meio Ambiente e incorporá-lo à Agricultura após reação negativa de setores exportadores, que temiam um desgaste da soja e da carne no exterior. Confira a íntegra da matéria de Daniel Weterman e Giovana Girardi para o Estado.    
Gostou? Compartilhe!