Aprosoja quer lei estadual para financiar Ferrogrão

10 de setembro de 2018 2 mins. de leitura
Produtores do  Mato Grosso contribuiriam com R$ 0,80 por saca de soja e R$ 0,50 por saca de milho para a constituição de um fundo com finalidade de tirar a ferrovia do papel A Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja) busca aprovar uma lei estadual que estabelecerá contribuições dos produtores para um […]

Produtores do  Mato Grosso contribuiriam com R$ 0,80 por saca de soja e R$ 0,50 por saca de milho para a constituição de um fundo com finalidade de tirar a ferrovia do papel

A Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja) busca aprovar uma lei estadual que estabelecerá contribuições dos produtores para um fundo privado destinado a financiar a Ferrogrão. O projeto de ferrovia para levar grãos do Centro-Oeste a portos do Norte, originalmente apresentado por tradings, tem custo estimado em R$ 12,7 bilhões e está há cinco anos no papel – espera-se a concessão da obra para 2019. “Estamos conversando com candidatos ao governo do Estado e até o fim do ano vamos aprovar essa lei”, garante Antonio Galvan, presidente da associação. Segundo ele, com o recolhimento de R$ 0,80 por saca de soja e de R$ 0,50/saca de milho, será possível arrecadar cerca de R$ 600 milhões a R$ 800 milhões por ano. “Pelo recolhimento compulsório, garantiremos os recursos, com ou sem crise. O produtor vai participar do projeto e ganhará também com o investimento.” » Juntos. Galvan conta que a entidade tem promovido encontros com produtores e a aceitação da ideia “foi unânime” até agora. Seu plano é já na safra 2018/2019 começar a recolher recursos para o fundo e iniciar a obra em 2020 – com ou sem tradings. Se elas entrarem, diz, os produtores contribuirão por cinco a seis anos. Sozinhos, esse prazo dobrará. “Ainda não conversamos com nenhuma empresa, mas temos interesse que elas façam parte do processo.”
Gostou? Compartilhe!