Agronegócio lidera criação de empregos no País

22 de agosto de 2018 2 mins. de leitura
Caged aponta que os dois segmentos que mais criaram postos de trabalhos foram os relacionados à citricultura e à soja Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que a contratação de 17.455 novos empregados pelo agronegócio foi liderada por atividades relacionadas à soja e laranja. Segundo dados do Ministério do Trabalho, o […]

Caged aponta que os dois segmentos que mais criaram postos de trabalhos foram os relacionados à citricultura e à soja

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostram que a contratação de 17.455 novos empregados pelo agronegócio foi liderada por atividades relacionadas à soja e laranja. Segundo dados do Ministério do Trabalho, o segmento da soja contratou 2.946 pessoas, sendo 1.722 empregados em Mato Grosso e 771 em Goiás. Já a laranja terminou o mês com 1.380 novos cargos, sendo a maioria absoluta em São Paulo (1.347 postos). Em outro recorte, o Caged informa que as atividades de apoio à agricultura terminaram com 7.328 novos empregados em julho, especialmente em São Paulo (5.474) e Minas Gerais (859). Entre as outras atividades do setor agropecuário, o cultivo em lavouras temporárias registrou 5.780 postos de trabalho, especialmente São Paulo (2.529) e Minas Gerais (1.571). Ainda no detalhamento por setor, os serviços geraram saldo líquido de 14.548 postos de trabalho. Nesse caso, destaque positivo para o segmento de comercialização de imóveis e valores mobiliários, serviços médicos, transportes e telecomunicações. A construção civil também terminou o mês com mais de 10 mil novos empregos, especialmente na construção de edifícios e obras para energia elétrica, telecomunicações e rodovias. Por outro lado, o comércio fechou 249 empregos. Em 2018, o varejo demitiu em seis dos sete meses. (Fernando Nakagawa – fernando.nakagawa@estadao.com)
Gostou? Compartilhe!