Salão mostra como será o futuro dos caminhões

17 de outubro de 2019 4 mins. de leitura
Na 22ª Fenatran, montadoras apontam as novas tecnologias e os serviços como o grande diferencial do setor para atrair clientes

Desde o início da semana, o São Paulo Expo é palco da 22ª Fenatran, Salão Internacional do Transporte Rodoviário de Carga, um evento bienal que traz as principais novidades e tendências desse mercado.

De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), o setor deve fechar o ano com um crescimento de 35% e ultrapassar a marca de 100 mil unidades de caminhões vendidas, número que não é alcançado desde 2014. O destaque fica para a categoria de pesados, no qual o agronegócio é o principal demandante.

Novo Actros, caminhão da Mercedes-Benz, é um dos destaques da 22ª Fenatran (Foto: Getty Images)

Nesta edição a palavra da vez é conectividade: caminhões com alta tecnologia e serviços que permitem ao usuário configurar as características do veículo e controlar toda operação e movimentação de carga.

Segundo Marcos Andrade, gerente de Produto Caminhão na Mercedes-Benz, era necessária essa virada. “O mundo de caminhões é muito tradicional. Hoje, as pessoas estão conectadas através do smartphone, não podemos ter medo dessa tecnologia.”


Leia mais
> Caminhões para o campo
> Uber de máquinas agrícolas


A Mercedes-Benz trouxe para o evento o novo Actros, caminhão que disponibiliza recursos como telas multimídia e sistema de piloto automático com mapas topográficos das principais rotas do Brasil, permitindo ao caminhão prever a marcha adequada para enfrentar a subida à frente.

A marca também tem aplicativos que apoiam a operação e permitem ao usuário verificar temperaturas e níveis de fluidos, travamento e destravamento das portas, configurações de multimídia, além de ligar o sistema de ar condicionado e climatizar a temperatura da cabine.

“Temos sistema de telemetria e rastreamento, sistema de logística, entre outros que auxiliam o motorista”, explica Andrade. Alguns recursos podem ser programados pelo celular e aparecem na tela através do sistema Apple CarPlay e Android Auto.

Plataforma multimodal

A chegada ao Brasil da plataforma Rio, da Volkswagen Caminhões, é outro destaque desta edição da Fenatran. Trata-se de uma marca do grupo, voltada a serviços digitais, que entrou em operação na Europa em 2018 e já atende 30 países.

Para Joelcio Silveira, vice-presidente da MAN Digital e Rio, a idéia é ter uma plataforma única, baseada em nuvem, que atenda as diversas necessidades do transportador.

“No futuro, o caminhão será  uma commodity. As tecnologias e os serviços serão o diferencial”, diz Marcos Andrade, o gerente de Produto Caminhão na Mercedes-Benz

No quesito segurança, a empresa se uniu à Omnilink e oferece serviço de rastreamento. “Criamos uma plataforma que muitos farão uso. Temos parceiros que vão colocar dados e outros que vão usar para prestar serviços aos clientes”, diz Silveira, que destaca a alta conectividade do sistema e o amplo atendimento.

“Nossos clientes têm um mix de marcas. O Rio conversa com todas e, no futuro, será multimodal”, completa. A plataforma engloba serviços da Volkswagen Caminhões e Ônibus (VWCO), como gestão da frota e manutenção.

Usar em vez de possuir

As montadoras caminham para uma nova era, em que o transportador demandará cada vez mais ferramentas fáceis de usar e que deem agilidade no serviço, ajudando a controlar a operação.“No futuro, o caminhão será uma commodity. As tecnologias e os serviços serão o diferencial”, diz o gerente de Produto Caminhão na Mercedes-Benz.

O executivo da Volkswagen também observa essa mudança no modelo de negócio. “As pessoas não vão querer ter o ativo [caminhão]. Elas vão usar o caminhão como serviço, e a plataforma [de ferramentas e facilidades] é que vai atrair o contratante” diz Silveira.

Por Thiago Sousa Campos

Gostou? Compartilhe!